Livros: sobrevivendo ao suicídio

Em meio a pandemia da COVID-19, o distanciamento social se tornou uma importante estratégia de prevenção e contenção do coronavírus. Sabemos que este é um momento delicado e que pode trazer alguns efeitos na saúde mental e no processo de luto de algumas pessoas.

Pensando nisso, deixamos aqui algumas sugestões de livros que podem contribuir com informações e reflexões em torno do luto por suicídio. Certamente são leituras que podem ser valiosas neste período de quarentena.

Se você tem alguma indicação de leitura que não esteja nessa lista, nos envie.

  • Sem tempo de dizer adeus: como sobreviver ao suicídio de uma pessoa querida – Carla Fine

Sinopse: “O suicídio parece ser o último tabu. Até mesmo o incesto é amplamente discutido na mídia, mas o suicídio de um ente querido ainda é um ato sobre o qual a maioria das pessoas é incapaz de conversar – ou até mesmo de admitir para os familiares e amigos mais próximos. Essa é uma das muitas verdades dolorosas e paralisantes que a autora Carla Fine descobriu quando seu marido, um jovem e bem-sucedido médico, tirou a própria vida em dezembro de 1989. Sentir-se incapaz de falar aberta e honestamente sobre a causa de sua dor tornou a sua sobrevivência ainda mais difícil.

Sem tempo de dizer adeus trata sobre os devastadores sentimentos de confusão, culpa, vergonha, raiva e solidão que são compartilhados pelos sobreviventes e oferece um auxílio poderoso e uma orientação valiosa para os familiares e amigos que são deixados para trás e que lutam para dar sentido a um ato que lhes parece não ter sentido, e para juntar os pedaços de suas próprias vidas despedaçadas.”

  • Depois do suicídio – apoio às pessoas em luto – Sheila Clark

Sinopse: ” O luto é um processo solitário, carregado de questionamentos, que nos leva a rever o passado como condição para movermos livremente em direção ao futuro. No entanto, o luto causado por um suicídio, torna a situação ainda mais complexa, pois o enlutado recebe sobre si, toda a carga do estigma da morte autodestrutiva: uma sombra sobre a qual a sociedade ocidental evita enfrentar, uma vez que ela revela sua própria tendência destrutiva. E é esse processo que a autora desta obra nos mostra e nos faz entender. “

  • Suicídio: o futuro interrompido: guia para sobreviventes – Paula Fontenelle

Sinopse: “Neste livro extraordinariamente polêmico, a jornalista Paula Fontenelle conta como seu pai matou-se com um tiro; como ela própria pensou que teria o mesmo destino; e como, afinal, decidiu-se por outra alternativa: estudar por que as pessoas se matam, se é possível evitar o suicídio e o que se pode fazer para enfrentar a questão. Assim, enquanto conta sua própria história e revela dezenas de outras, todas comoventes e trágicas, ela levanta estatísticas, entrevista especialistas e, ao final, tenta responder à questão filosófica mais fundamental de existência: afinal, qual o sentido da vida? Reportagem vibrante e inesquecível, além de estudo profundo, este livro é também um guia fundamental para todos os que se interessam pelo assunto e para os que, por uma razão ou outra, precisam enfrentar essa difícil situação.”

  • E foram deixados para trás: uma reflexão sobre o fenômeno do suicídio – Pe. Lício Vale

Sinopse: “Diariamente cerca de 38 pessoas tiram a própria vida em nosso país. Vivemos um momento de aumento do número de reportagens sobre o suicídio entre os jovens. O suicídio é uma tragédia silenciosa e silenciada, e um tabu social tende a ocultar sua realidade. Aos que ficam, o suicídio impõe o choque e a violência do abandono. A dor causada por um suicídio é silenciada na vida da pessoa e ocultada na história da família: foram deixados para trás, sem direito a despedida, sem compreender os porquês.

Convicto de que o suicídio é uma questão e um problema de saúde pública que pode ser prevenido, o autor, filho de um suicida, desmistifica as questões que permeiam esse ato e aborda a dor dos que ficam e a visão das religiões a esse respeito.”

  • O Suicídio de Meu Pai – André Penteado

Sinopse: Fotolivro – “As obras que compõem este projeto, criadas a partir de uma experiência vivida pelo próprio autor, exploram os sentimentos surgidos em três momentos distintos do processo de luto: a dor e o choque causados pelo recebimento da notícia, o processo de “despedida”, vivenciado nas semanas posteriores ao enterro e, por fim, os vestígios emocionais desta perda ao longo do tempo.”

  • Não Estou Sozinho – André Penteado

Sinopse: “Fotolivro do artista que fala sobre um impactante acontecimento de sua vida: o suicídio do pai. Outras três séries integram o projeto. Vazio exibe cliques das casas dessas pessoas e a atmosfera melancólica de ambientes depois da perda. Em Memórias, Penteado registrou objetos que carregam valor afetivo para cada um dos depoentes. Por fim, em As Roupas de Meu Pai, fez retratos de si mesmo vestindo trajes do armário do parente.”

  • O vento que varre a casa – Marcia Matos

Sinopse: “O vento que varre a casa é um livro bilíngue (português e espanhol) com tradução de Eva Taberne, que conta brevemente três estórias reais de suicídio dentro de uma mesma família em três gerações (1920 – 1938 – 1983). Os relatos destas estórias geraram os poemas ao longo das duas últimas décadas.”

  • Histórias de Sobreviventes do Suicídio – volume I e II –  Karen Scavacini Org,

Sinopse: Esse livro é resultado do Concurso Literário Memória Viva, que é realizado anualmente pelo Instituto Vita Alere (IVA) e tem como objetivo dar espaço para que sejam contadas e publicadas histórias relacionadas ao tema suicídio no que diz respeito à experiência, vivência e superação.
Para o download gratuito do volume, I acesse: https://vitaalere.com.br/materiais-online/livro-historias-de-sobreviventes/

Para download do volume II, acesse: https://vitaalere.com.br/materiais-online/livro-historias-de-sobreviventes-2/

  • E agora? Um livro para crianças lidando com o luto por suicídio – Karen Scavacini

Sinopse: “Por dia, 25 pessoas morrem por suicídio no Brasil, e pelo menos, outras 125 são deixadas para traz para lidarem com essa morte, muitas delas crianças. O suicídio é um evento trágico para toda a família. Crianças e adultos são extremamentes impactados por essa morte e, muitas vezes, precisam de cuidados especiais. Conversar com uma criança sobre o que aconteceu e sobre como ela está se sentindo pode fazer grande diferença em seu processo de luto e na busca de uma nova forma de existir no mundo. Diminuir o estigma e tabu sobre o suicídio pode começar dentro de casa, com conversas francas, adequadas à idade e com o acolhimento do luto. Silenciar não significa resolver. O enlatamento é um processo e não um evento. Esse livro é único ao tratar desse tema: traz explicações, propõe exercícios e ajuda para crianças, pais, educadores e psicólogos nesse delicado percurso. A autora trata de uma forma simples, sensível, corajosa e cuidadosa um tema difícil, dolorido e cheio de tabus.”

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *